Histórico de Brasília

Brasília, apesar de ser uma jovem cidade, possui um passado gigantesco. Há indícios de ocupação humana nessa região datados de 10 mil anos e ainda preservados por meio de escrituras rupestres, cerâmicas e utensílios. Teorias apontam que a região esteve inserida no processo de migração de civilizações antigas por meio da rota natural percorrida pelas Águas Emendadas localizadas no Distrito Federal, declarada pela UNESCO como área nuclear de Reserva da Biosfera do Cerrado.

1751- Marquês de Pombal propõe pela primeira vez transferir a Capital do Brasil para o interior.

1789- Os inconfidentes mineiros, liderados por Tiradentes, insatisfeitos com Coroa Portuguesa, também ansiavam pela interiorização da Capital.

1813- Hipólito José da Costa, patrono da imprensa nacional, publicou no “Correio Braziliense” sua primeira defesa pela transferência da Capital para o interior central nas cabeceiras dos grandes rios.

1821- José Bonifácio, o Patriarca da Independência, propôs levantar, na latitude aproximada de 15°, uma cidade central para a Corte Portuguesa, sugerindo o nome de Brasília.

1877- Francisco Adolfo Varnhagen, o Visconde de Porto Seguro, iniciou várias pesquisas in loco e sugeriu que a Nova Capital fosse construída na vizinhança do triângulo entre as lagoas Formosa, Feia e Mestre D’Armas, no Planalto Central Brasileiro.

1883- Dom Bosco, padre italiano fundador dos Salesianos teve um sonho profético, no qual previu o surgimento de rica e próspera civilização na América do Sul, entre os paralelos 15° e 20°, onde Brasília está inserida.

 

DO SONHO À REALIDADE…

“Fica pertencente à União, no Planalto Central da República, uma zona de 14.400 km, que será oportunamente demarcada, para nela estabelecer-se a futura Capital Federal.”

(Art 3º da Constituição da República de 24 de fevereiro de 1891).

1891- Presidente Floriano Peixoto estabeleceu a “Comissão Exploradora do Planalto Central do Brasil”, chefiada pelo engenheiro e astrônomo belga Luiz Cruls, para demarcar a área estipulada na Constituição.

1893– A área sugerida pela Comissão recebe o nome de  Quadrilátero Cruls e aparece pela primeira vez no Mapa do Brasil  com a inscrição de “Futuro Distrito Federal”.

1922- O Presidente Epitácio Pessoa lança a Pedra Fundamental da Nova Capital do Brasil no Morro do Centenário, em Planaltina/GO, em 7 de setembro, em comemoração do centenário da Independência.

1955– O candidato à Presidência da República Juscelino Kubitschek, durante o seu primeiro comício, em Jataí/GO, prometeu construir a Capital no Planalto Central conforme previsto na Constituição Federal. Seu slogan de campanha foi “50 anos em 5”, remetendo ao desenvolvimento esperado para o tempo de governo.

1956– JK é eleito presidente da República, tendo seu governo pautado no desenvolvimento e integração do País. Sendo assim, define a construção de Brasília como meta-síntese e cria a Companhia Urbanizadora da Nova Capital – NOVACAP (19/09), tendo como diretores Bernardo Sayão, Íris Meinberg, Ernesto Silva e Israel Pinheiro, cuja primeira ação foi a publicação do edital do Concurso do Plano Piloto de Brasília (20/09).

1957- Lucio Costa, arquiteto e urbanista, vence o concurso público apresentando o Plano Piloto de Brasília em quatro escalas: Monumental, Gregária, Residencial e Bucólica. O projeto foi apreciado e eleito pela grande maioria dos jurados dentre os 25 concorrentes.

1960- Em 21 de abril, Brasília é inaugurada após 3 anos e 4meses, e de intenso trabalho, suor e dedicação, fruto da determinação e vontade política dos governantes unidos à garra do povo brasileiro oriundo dos quatro cantos do País, os Candangos. Também é oficializada neste dia a transferência da Capital Federal.

 

DA CRUZ AO AVIÃO

Muitas pessoas associam o formato da cidade às formas de um avião, borboleta ou pássaro.  A semelhança ocorreu a partir da necessidade de adequar o formato original da cruz à topografia local. O traço que se manteve reto é chamado de Eixo Monumental, associado por muitos ao corpo do avião. Já o Eixo Rodoviário, trecho com 16 km de transito rápido, que corta a cidade ininterruptamente, ganhou curvatura. Esse eixo une as áreas residenciais, nomeadas de Asa Sul e Asa Norte.  O Eixo Rodoviário é popularmente conhecido como Eixão. Aos domingos, suas pistas são interditadas e toda sua extensão destinada apenas às atividades de lazer.